• Opinião

Opinião - Uma sonhadora que realizou o sonho.

Siniprf-Brasil

Em reação aos desmandos do “acordo” promovido pelo sistema sindical estadual e federativo, colocamos a opinião de alguns Inspetores (as).

Por: Inspetora PRF Maria de Fátima Pina de Sousa

Em 31/03/2011 escrevi um sentimento em razão de uma reportagem que passou no Fantástico que denominei “Criadores e Predadores”. Reportagem esta que manchava toda a categoria e uma Instituição que nos dera tantas alegrias, salvara tantas vidas e protegera de bandidos tantas famílias.  Hoje me vejo novamente escrevendo e o pior com o mesmo sentimento de tristeza (ESTÁ VIRANDO ROTINA),  em razão de inescrupulosos, interesseiros e sem respeito e amor a história, que queiram ou não existe e existirá enquanto um de nós (dinossauros) estiver vivo.  História não se apaga, pode até esconder, mas apagar jamais. Talvez seja isso que tanto aflige esses interesseiros em causa própria, já que nada constroem. Muito pelo contrário só buscam a destruição.  Sou uma sonhadora e idealizadora, como todo Inspetor.

Não entendo esse retrocesso. Criticavam tanto a PRF do DNER, nos chamavam de guardas e hoje querem nos levar àquela condição de sem nomes (Os INOMINÁVEIS).  Sem desmerecer o DNER, que considero o nosso órgão mãe, com todo respeito, que não soube nos dar o devido valor e nos perdeu. Essa condição de identidade foi o que mais nos motivou para sairmos.  Queríamos respeito, NOME, traduzindo, identidade para fazermos o que mais sabíamos e era nossa obrigação: POLÍCIA CIDADÃ.  Sonhamos em ser e ter. E somos e temos.   Criamos com tanto amor o nosso DPRF, que só sabe o quanto custou quem lá estava.  Não tínhamos nada e fazíamos tudo o que fazem hoje tendo tudo, mas foi para isso que fomos à luta.  Realizamos o nosso maior sonho que era ter um nome.  A categoria é Policial Rodoviário Federal, mas por falta de um nome de direito usávamos o de fato INSPETOR, o título que muito nos orgulha e por ser de direito e histórico. 

Aí nos deparamos com uma Operação Padrão de mentirinha, feita única e exclusivamente para nos deixar sem nome, num flagrante retrocesso nos querem denominar ESPECIAL. Sem nenhum desmerecimento hoje o termo é usado para definir pessoas com alguma deficiência.   Hoje não falamos mais aquela pessoa é, por exemplo, mongoloide, retardado mental e etc. Hoje falamos aquelas pessoas são especiais, o que é muito justo, eram termos terríveis que não condiziam com a verdade, haja vista o amor dos seus parentes.  Não fizeram o dever de casa que era nos dar um salário digno já defasado, nos estruturar melhor como Instituição, efetivo, etc. Deixamos quase tudo pronto era só conduzir, mas não souberam ou não quiseram, a intenção era só destruir um sonho.   Pergunto será que vão conseguir? Esta é a dúvida. 

Levaram a Instituição que salva, protege, etc, a uma situação de total desconforto perante a sociedade. Sociedade esta já tão sofrida, e que sempre nos deu apoio, que sempre esteve do lado de cá. E hoje, será que está? Será que fica se precisarmos, como já esteve quando precisamos. Ah tá, eles não sabem, pois não estavam aqui. Isso tudo só para destruir um Sindicatozinho, que foi criado por causa dessas e outras motivações e não pelos motivos mentirosos que os verdadeiros mentirosos falaram e falam. Será que nós do SINIPRF-BRASIL atrapalhamos as maldades por eles feitas contra nós INSPETORES?  Fazem uma reunião entre si, sem consultar a todos nós Inspetores, que não representam, sobre concordarmos ou não em sermos novamente inomináveis.

Que representação covarde é esta??? Talvez a única que conheçam. Também, com a diária que recebem é ótimo fazer reunião entre si e decidir seus interesses, sem anuência dos que descontam de seus salários, mensalmente. É, parece que esta é a única decisão que nos resta, pagar.  Esquecem que o Sindicato é uma entidade classista, e não o nosso comércio pessoal.  Porque esconderam esta intenção nas Assembleias. Fez parte de alguma pauta? Não me recordo.

Não autorizo ninguém a me tirar o sonho que sonhei e realizei.  Não autorizo ninguém a me levar ao retrocesso. Não autorizo ninguém a me chamar de ESPECIAL, pois, ainda estou sem necessidades especiais.  Essa Operação Padrão que não trouxe nada de concreto à minha PRF e aos meus irmãos INSPETORES eu repudio veemente.   Este é o meu desabafo que remeto ao SINIPRF-BRASIL para publicação. Sindicato esse que me fez voltar a sonhar e a buscar outras realizações, do qual eu faço parte com muito orgulho.

RESPEITO JÁ!!!  A TODOS NÓS INSPETORES QUE NÃO AUTORIZAMOS DESTRUIR O NOSSO SONHO.
Conclamo a todos aqueles que também sonharam e realizaram seu sonho de ter um nome (dignidade), que não querem ser novamente, os sem nome (Inominável) a remeter para o e-mail do SINIPRF-BRASIL e do seu parlamentar amigo ou de sua simpatia, um Manifesto de Repúdio ao ato covarde de quem não nos representa. Bem como para os Ministros do Ministério da Justiça, do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão e Casa Civil.   

30/Agosto/2012

Inspetora Fatima: Que Sonhou e Realizou Seu Sonho.

ImprimirEmail